Criarumemail.com/

Notícias

No fim da tarde dessa quinta-feira (25), por meio da Operação Brasil Mais Seguro, foi preso o comerciante Juvenal Martins Sousa, conhecido como Oiapoque. Em desfavor dele, havia um mandado de prisão pelo crime de homicídio, expedido pela juíza da 3ª Vara, Ana Lucrécia Bezerra Sodré Reis expedido em 17 de Março de 2017.
Oiapoque foi condenado pela Justiça a 16 anos de prisão em regime fechado. A sentença dele transitou em julgado no começo deste ano. Ele estava preso, mas conseguiu liberdade durante o processo. Após sair a condenação o assassino não recorreu, passando a ser foragido da Justiça.
A Polícia Civil fez buscas na casa o homicida, no bairro Vila Nova, e conseguiu prendê-lo por volta das 17h, de ontem. Ele foi levado para o Plantão Central da Polícia Civil e em seguida, encaminhado para a Unidade Prisional de Ressocialização de Imperatriz (UPRI).
O homem foi condenado pelo assassinato de Márcio Luiz Sampaio, que deu uma carona para ele numa bicicleta. O assassinato aconteceu no dia 20 de dezembro de 2014, no bairro Jardim São Luís. A polícia chegou ao suspeito após imagens de câmaras de segurança, que mostrou o momento do assassinato com requintes de detalhe.
Na época, ele foi preso por embriaguez ao volante acabou confessando o homicídio de Márcio Luiz. A polícia confirma que no momento do assassinato, Oiapoque estava embriagado. Ele matou o amigo com vários tiros, após uma discussão, na madrugada do dia 20 de dezembro de 2014.
Integrantes do movimento cultural evidenciam o respeito e a dedicação do parlamentar em manter vivas as manifestações folclóricas.
  Há exatos 60 dias, insistentemente, os convênios firmados com o Poder Público, mas, especificamente, a Prefeitura de São Luís e o Instituto Lógica, entidade sem fins lucrativos, fundado pelo matemático e bacharel em Direito – Itamilson Lima, que também é o atual Diretor Administrativo da Câmara Municipal de São Luís, portanto, um dos principais assessores do presidente daquela Casa, o vereador Astro de Ogum -, vêm sendo alvo de inúmeros ataques.
O valor do convênio, num total de mais de sete milhões de reais usado para a realização das festas juninas e carnavalescas, além da ligação do assessor com o assessorado, são os principais tópicos abordados. No entanto, ou por desconhecimento da atividade precípua que regulamenta o chamado terceiro setor, categoria em que o Instituto Lógico se enquadra ou, ainda, maldade mesmo, a importância do convênio para o fomento das atividades culturais na capital maranhense não foi abordado.
Os representantes da entidade, o próprio presidente Astro de Ogum, o atual diretor da CMSL, bem como o Parque Estadual, órgão que fiscaliza tais entidades, e com a emissão de certidões tem o condão de autorizar ou não a liberação de recursos públicos, mediante convênio, jamais foram procurados.
E o que é pior, nenhum integrante do movimento cultural foi ouvido para se pronunciar o que representou a liberação do montante já afirmado. O retorno para o município, em termo de recursos, com a realização de ambas as festas também passou despercebido. Ou seja, de fato, todas as publicações, nem de longe, atenderam ao regramento que deve pautar o jornalismo, digo, a divulgação de uma informação precisa e imparcial.
Para o movimento cultural, as intervenções do vereador Astro de Ogum, por meio de emenda parlamentar, mecanismo este amparado por lei (Lei de Diretrizes Orçamentárias), têm sido de fundamental importância para manter acesa a chama da cultura popular no Estado. Em um rápido bate papo com dezenas de representantes de diferentes entidades culturais, facilmente podemos detectar o sentimento de gratidão e respeito pelo trabalho realizado pelo vereador em prol da cultura, como segue abaixo.
“A importância do vereador Astro de Ogum para a cultura popular é algo inegável, mesmo para aqueles que não gostam dele. O vereador se envolve e luta por nós. Ele figura como um ponto de apoio para as inquietações e reivindicações de todos que fazem parte da cultura local, seja no Carnaval, São João, Procissão dos Orixás, Festa para Yemanjá, Festa do Divino e em outras ações culturais. Enfim, ele é o elo principal de muitas iniciativas para o segmento artístico. Louvo a sua motivação que sempre o leva a buscar melhorias, e quando a gente acha que tudo está perdido, ele consegue desenrolar sempre os nossos anseios. Astro de Ogum é um homem de fé, luta e, acima de tudo, coragem para enfrentar as dificuldades do dia a dia”, afirmou Clodenir Araújo , o  Zeca da Cultura,  presidente da União Folclórica e Cultura Luso Brasileiro do Maranhão e participante da comissão da Federação Folclórica.
Zeca da Cultura
Quem também ressaltou a contribuição e importância do vereador Astro de  Ogum para a cultura popular, foi à comunicadora Helena Leite, que comanda o programa ‘Canta Maranhão’ pelas ondas da Rádio Difusora AM, de segunda a sexta-feira, das 14 às 16h. “Tenho respeito e admiração pelo vereador Astro de Ogum, por tudo que ele representa ao povo da cultura popular. Com ele podemos contar como o único ponto de apoio. Ao longo de décadas, ele é que tem feito intervenções junto aos governos do Estado e Município, o que só tem garantido muitos ganhos às nossas manifestações folclóricas. E foi em boa hora que o governo do estado devolveu o comando do Parque Folclórico da Vila Palmeira à Federação das Entidades Folclóricas e Culturais do Estado do Maranhão” afirmou a comunicadora, que também é uma das incentivadoras do Boi da Pindoba.
Helena Leite
Pensamento similar é o que comunga a presidente do Boi da Floresta, Nadir Cruz. “Tenho uma grande admiração pelo vereador Astro de Ogum porque ele tem um olhar diferenciado para a cultura, por isto é reeleito sempre. E nós concordamos com este trabalho que vem desenvolvendo há mais de duas décadas. Ele sempre está a serviço da cultura popular. Eu aprecio a posição, como parlamentar, de defesa da cultura popular. Se pelo menos oitenta por cento dos parlamentares tivesse esta mesma dedicação que ele desenvolve, estaríamos numa posição melhor”, finalizou.
“Sempre digo que seria muito bom para nós da cultura popular, se tivesse colaboradores como o vereador Astro de Ogum. Ele ajuda sempre, e é impossível não reconhecer o trabalho desenvolvido por ele em favor do movimento cultural. Fiquei mais feliz ao saber que ele vai coordenar o Arraial do  Parque Folclórico da Vila Palmeira. O arraial vai voltar a ter um novo visual e será mais um espaço para apresentações e inclusões de nossas manifestações culturais,  declarou, o folclorista Zequinha de Coxinho, presidente do Grupo Fruto da Raça Show.
 “Não tem como não reconhecer que o vereador Astro de Ogum é profundo amante e conhecedor de todas as manifestações culturais da nossa terra, seus atores e suas carências, sendo uma voz firme na defesa e manutenção da cultura popular”. Tony Mota, ex -presidente da União das Escolas de Samba do Maranhão , vice Presidente da Escola de Samba Túnel do Sacavém.
“Um notável apaixonado, admirador e articulador da nossa rica diversidade cultural. O vereador Astro de Ogum tem demonstrado todo seu amor ao povo da cultura popular e em todos os momentos, seja no carnaval ou nos festejos juninos, com comprometimento e atenção” (Brasa Santana, presidente da Associação Maranhense de Blocos Carnavalescos).
Portanto, os depoimentos acima conseguem evidenciar a importância do vereador Astro de Ogum para aqueles que realmente fazem cultura popular, fato esse que também não foi mencionado em qualquer publicação feita até então envolvendo o Instituto Lógica, o diretor da Câmara e o próprio presidente.
No fundo, em tese, temos a nítida impressão que as informações divulgadas têm o fito propósito de induzir o leitor a pensar que, de fato, o montante do convênio fora desviado pelo Instituto visando beneficiar ao vereador.
Ao falar sobre o assunto, o presidente Astro de Ogum mostrou bastante tranquilidade. “Ao longo dessas duas décadas aprendi que política tem dessas coisas. Estou bastante tranquilo em relação a tais colocações. Por noite, milhares de pessoas visitaram o Arraial Pertinho de Você bem como o Carnaval na passarela do samba, e submeto-me ao julgamento do povo. Os amantes da cultura popular maranhense, de fato, podem falar da grandiosidade dos nossos eventos. Temos um alto custo que precisamos custear, principalmente com os grupos folclóricos, por isso, essa colocação infundada não tem o menor cabimento”, afirmou o presidente.
Também não foi informado que o terceiro setor, segmento que o Instituto Lógica está inserido, não visa ao lucro, razão pela qual se permite, legalmente, a parceria público/privado, haja visto que  ambos têm o bem comum da coletividade como finalidade primordial.
“O objetivo das parcerias do poder público com o terceiro setor — termo utilizado para definir organizações de iniciativa privada, sem fins lucrativos e que prestam serviços de caráter público — “não é o lucro, mas o ganho social”, essa foi à declaração de Itamilson Lima, à equipe do Jornal ‘Câmara News’, informativo que vai ao ar todas as sextas, das 12h às 13h, pela Rádio Difusora AM (680).
Durante a entrevista, o diretor admitiu que, de fato,  foi um dos fundadores do instituto, mas renunciou ao cargo de presidente mesmo antes de findar seu mandato, na época e, desde então, não possui qualquer ligação com a entidade. Aclareou, ainda, algumas informações equivocadas sobre recursos de emendas apresentadas por vereadores ao Orçamento do Município, por meio do qual o parlamentar utiliza para financiar uma obra ou projeto.
É importante deixar claro que as matérias parecem maldosas, uma vez que elas denotam um ganho de uma entidade sem fins lucrativos, sem explicar qual é a destinação ou o objetivo desses repasses?”, questionou o diretor da Casa Legislativa.
Itamilson, que é mestrando em Estatística e formado em Direito, afirmou também que uma emenda destinada, quando é executada, imperativamente será para cumprir o termo proposto entre entidade e ente público.
“Nenhum poder público vai repassar para uma entidade sem fins lucrativos qualquer que seja o valor, que não seja para cumprir um plano de trabalho. Os valores que são repassados, necessariamente serão para cumprir o termo proposto entre entidade e ente público, seja prefeitura, governo do estado ou união”, esclareceu.
O diretor da Câmara assegurou que não há qualquer ilegalidade na destinação de emendas de vereadores para a entidade filantrópica e lamentou como as informações estão sendo divulgadas de forma distorcida.
“Quando o profissional de imprensa é correto, as informações são corretas. Como é que divulgam os valores dos recursos, mas ignoraram os custos? Qualquer entidade que recebe recursos para cumprir o termo proposto com o poder público precisa apresentar sua prestação de contas com os custos detalhando qual foi a destinação ou o objetivo desses repasses, por exemplo. Assim como o poder público, o objetivo do terceiro setor não é o lucro, mas o ganho social”, pontuou.
“CUSTO CULTURA”     
Durante a entrevista, Itamilson, que também atua na área cultural apresentou, brevemente, alguns aspectos que mostram os custos do setor cultural. Foram relacionadas algumas despesas como mão de obra e serviços, além de gastos com som e palco, seguranças, ornamentação, alimentação, entre outros. Ele explicou ainda que entre os serviços, o que mais encarece um projeto cultural são as despesas com energia (iluminação e estrutura de som), segurança, mão de obra para confeccionar a ornamentação e cachês das apresentações.

“Quando se falam em aplicação de recursos públicos para projetos na área cultural não se leva em consideração, por exemplo, o custo para se montar a estrutura do espetáculo. Existe toda uma despesa com mão de obra, som e palco, ornamentação e alimentação. Além disso, tem ainda o gasto com seguranças, energia e o pagamento dos cachês das apresentações que é o que mais encarece um projeto cultural”, concluiu.

PERGUNTAS E RESPOSTAS
TERCEIRO SETOR?     
O primeiro setor é o governo, que é responsável pelas questões sociais. O segundo setor é o privado, responsável pelas questões individuais. Com a falência do Estado, o setor privado começou a ajudar nas questões sociais, através das inúmeras instituições que compõem o chamado terceiro setor. Ou seja, o terceiro setor é constituído por organizações sem fins lucrativos e não governamentais, que tem como objetivo gerar serviços de caráter público.
EMENDAS PARLAMENTARES?      
Colocando de forma simples e direta, as emendas parlamentares são uma maneira que os legisladores brasileiros têm à sua disposição para direcionar recursos do orçamento público. Em outras palavras, é por meio delas que Vereadores, Deputados Estaduais e Deputados Federais podem influenciar no que o dinheiro público será gasto.
No Brasil, quem elabora o orçamento (ou seja, o documento que define quanto dinheiro o governo pretende arrecadar e gastar durante o ano) é o poder Executivo (Presidente, Governadores e Prefeitos). Por isso, a participação direta dos parlamentares nessas decisões é feita por meio das emendas.
O Moto Club  colocou um ponto final na série negativa de duas derrotas seguidas no Campeonato Brasileiro da Série C ao golear o Confiança pelo placar de 4 a 0, em partida realizada na tarde deste sábado, no Estádio Castelão, pela terceira rodada. Os gols foram marcados por Bebeto, Rafamar e Válber.Com o resultado, o time maranhense deixou a lanterna do Grupo A e subiu para o meio da tabela, com três pontos conquistados. Já o Confiança viu cair o 100% de aproveitamento e desperdiçou grande oportunidade de pular para a liderança.
NA FRENTE
Bem postado defensivamente, o Moto Club conseguiu anular as principais ações do Confiança no primeiro tempo e acabou sendo mais incisivo. Logo aos 23 minutos, Raí arriscou de fora da área e exigiu uma grnade defesa do goleiro Henrique.
A equipe maranhense seguiu em cima e conseguiu abrir o placar três minutos depois. Valber arriscou, Henrique defendeu e Bebeto aproveitou a sobra para empurrar para o fundo das redes, fazendo 1 a 0 no Estádio Castelão.
VIROU GOLEADA!
O segundo tempo começou ainda mais movimentado, mas a falta de pontaria seguia ao lado do Confiança. Não no Moto, que aos seis minutos ampliou o marcador. Rafamar ficou com a sobra da defesa adversária e soltou o pé para deixar o seu.
O Dragão sentiu o gol, e começou a assistir o Moto jogar. Aos 20 minutos, Toni Galego fez boa jogada, mas parou na defesa de Henrique. O goleiro soltou a bola em Válber, que guardou mais um. E não acabou aí.
Aos 39 minutos, após cobrança de escanteio, Raí jogou a bola para dentro da área, Felipe Dias desviou e enganou o goleiro Henrique, que nada pôde fazer para evitar o chocolate.
PRÓXIMOS JOGOS
Na próxima rodada, o Confiança enfrenta o Remo na sexta-feira, às 19h, no Estádio Batistão. No 


Por Mauro Garcia 
A União de Moradores do Bairro Residencial Paraíso, elegeu no domingo (21), a nova diretoria  que vai comandar a entidade por mais dois anos, e tem  agora como presidente o comunitário  River Vladimir da Silva Souza.

 A nova diretoria foi ainda será empossada em solenidade a ser realizada no próximo dia 4 na sede da união, com a presença de lideranças comunitárias locais, e representando de entidades da Área Itaqui – Bacanga.

A Chapa ll encabeçada por River Sousa foi formada por 19 membros que incansavelmente      trabalharam durante do
is meses para alcançar o objetivo que era vencer as eleições comunitárias contra a concorrente a Professora Eliene de Moraes (Chapa l).

 A União de Moradores do Residencial Paraíso tem como novos diretores os comunitários, River Vlademir da Silva Souza (Presidente), Flavio Pacheco (Vice-presidente)Marinéz Santos (1ª Secretária),Josmael (2º Secretário),Cícero Junior (1º Tesoureiro), Reinaldo Rodrigues (2º Tesoureiro),

Conselho Fiscal

Paulo Sérgio (Presidente), Raimundo Nonato (Secretário), e Josenilson Sousa (Relator),

Suplente

Francisco de Assis (1º Suplente), Jucelino Sousa (2º Suplente) e Celiane Portela (3ª Suplente)

  Para vencer a acirrada disputa contra a professora Eliene de Moraes, River Sousa contou com a poio de várias lideranças comunitárias,  Jornalista Mauro Garcia (FEIBA), João Máximo Costa (Conselho Tutelar), Sebastião Santos (MACAIB), Ivan Santiago Junior (ACIB) Maria Auxiliadora (ALEMA)< Mariazinha (FEIBA/ALEMA), Luziano de Matos, Pinguim (Gapara), Karla (ACIB) e outros.

Segundo o diretor da FEIBA, Paulo Carvalho a entidade apenas cumpriu o seu papel, mas deixa que  a mesma  não vai interferir nas ações do presidente eleito, ja que o mesmo não se manifestou em agradecer a entidade, que foi a primeira a declarar apoio e a disponibilizar  equipes para  ajudar na eleição da Chapa 2 .    



Naldiane representou a FEIBA


Local de votação



Garotinho de Ouro também apoiou a chapa 2

Em ação contra o tráfico de entorpecentes no estado , a Polícia Civil do Maranhão, por meio da Superintendência Estadual de Repressão ao Narcotráfico (SENARC) apresentou na manhã desta quinta-feira (25), por volta das 11hs, Maria de Fátima Andrade, 35 anos, acusada de envolvimento com o tráfico de droga. Ela foi presa na noite desta quarta-feira (24), após  ser flagrada  com 10 kg de entorpecentes  da cidade de Davinopolis – GO,  e teria  destino para a cidade de São Luís.
Após a prisão o delegado Valdenor Viegas, ressaltou que a mesma foi presa quando estava  retornando do município de Imperatriz. O delegado disse ainda que ja havia uma denúncia anônima contra Maria de Fátima Andrade, informando que ela estaria saindo de um ônibus em direção ao município de Vargem Grande. A suspeita foi flagrada nas proximidades do município de Itapecuru/MA, ao descer com os entorpecentes.
Maria de Fátima Andrade estava saindo da cidade de Imperatriz, em um ônibus de Davinopolis/GO, para a cidade de São Luís, mas foi pega em flagrante  no povoado “Entroncamento”, localizado na cidade de Itapecuru-Mirim do Maranhão .
Com ela foram encontrados, uma mochila, em 08 tabletes, totalizando cerca de 10 kg de maconha prensada.
Após descer do coletivo, Maria de Fátima Andrade iria se dirigir até o município de Vargem Grande/MA, onde seria distribuída a maconha prensada. Ao descer do ônibus em Entroncamento, fora surpreendida pela nossa equipe.
Maria de Fátima  foi encaminhada a sede da (SENARC), ela   apresentada à imprensa e logo depois  sendo  autuada pelo crime de tráfico de entorpecente, onde permanecerá à disposição da Justiça